O que pode parar seu carro de repente

Seu carro pode deixar você na mão por vários motivos. Conheça alguns deles.

blog1Seu carro pode deixar você na mão por vários motivos. Os principais são: problemas no sistema de arrefecimento, pane elétrica, embreagem desgastada e deficiência de lubrificação do motor.

Apesar da manutenção preventiva evitar esses problemas, o motorista também deve ficar atento ao comportamento do carro e ao modo de dirigir.

Sistema de arrefecimento
O motor aquecido demais ou até mesmo fundido pode ser resultado de problemas no sistema de arrefecimento. Esses danos podem ser causados quando:

  • O nível do líquido de arrefecimento estiver muito baixo;
  • Existir água comum no sistema;
  • Usar aditivo fora dos padrões estabelecidos pela montadora.

Para prevenir, é recomendado verificar regularmente o reservatório do líquido de arrefecimento (água destilada misturada a um aditivo – anticongelante e antioxidante – de qualidade).

Pane elétrica
Dificuldade para ligar o carro e mau funcionamento de dispositivos como rádio, alarme, travas e vidros são indícios de problemas elétricos no carro.

Isso acontece quando não é feita a manutenção da bateria e do alternador ou quando há sobrecarga do sistema. Para evitar esses problemas, procure não instalar equipamentos eletrônicos como rádios, alarmes, câmeras de ré, vidros e travas elétricas que estejam fora do projeto da montadora.

Mesmo parado, o carro consome energia da bateria com os equipamentos que ficam em stand by, como a central de injeção eletrônica, o alarme e a parte frontal do rádio.

Veja algumas dicas para seu carro não ficar sem energia:

  • Retire a frente do rádio, quando possível, para evitar o consumo de energia;
  • Evite deixar rádio ou faróis ligados com o carro desligado pois acelera a descarga da bateria;
  • Se for instalar um som potente, avalie se a peça está de acordo com a capacidade da bateria do carro.

Embreagem desgastada
Se ao acelerar o carro e ele começar a patinar, não sair do lugar ou parar completamente, pode ser que a embreagem esteja desgastada. Essas situações podem acontecer devido a:

  • Mau uso, como subir em rampas com o carro frio;
  • Pisar fundo na embreagem ao trocar as marchas;
  • Dirigir sem tirar o pé do pedal.

Deficiência de lubrificação do motor
Usar lubrificante errado, andar com baixo nível de óleo ou demorar para trocá-lo, podem fazer o motor parar de funcionar. Esse problema pode ser evitado se a troca de óleo for feita de acordo com o período estipulado pela montadora.

Verifique sempre que possível o nível de óleo com auxílio da vareta que tampa o reservatório ou no posto de gasolina ou oficina.

 

 

Fonte: Azul

Uso do farol baixo em rodovias é obrigatório a partir de hoje.

farol

A partir de hoje (8), o farol baixo aceso durante o dia em rodovias é obrigatório. Quem for flagrado com as luzes apagadas será multado em R$ 85,13, por infração leve, e terá quatro pontos na carteira de habilitação.

O objetivo da medida é aumentar a segurança nas estradas, reduzindo o número de acidentes frontais. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), estudos mostram que a presença de luzes acesas reduz entre 5% e 10% o número de colisões entre veículos durante o dia. A maioria das colisões frontais é causada pela não percepção do outro veículo por parte do motorista, a tempo de reagir para evitar o acidente ou pelo julgamento errado da distância e velocidade do veículo que trafega na direção contrária em casos de ultrapassagem.

O farol baixo não pode ser substituído por farol de milha, farol de neblina ou farolete, mas o uso de faróis de rodagem diurna (DRL – Daytime Running Light), ou faróis de LED, está liberado pelo Denatran. O DRL é um filamento de luzes de LED, presente em veículos mais modernos e acionado automaticamente quando o carro é ligado. A validade do DRL para a nova regra chegou a ser questionada, mas o Denatran esclareceu ontem (7) que esse tipo de iluminação também é válido. A orientação de considerar as luzes DRL como farol baixo para fins legais já foi passada à Polícia Rodoviária Federal e aos demais órgãos do Sistema Nacional de Trânsito.

A lei que estabelece a medida foi sancionada pelo presidente interino Michel Temer no dia 24 de maio. A mudança teve origem em um projeto de lei apresentado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) e foi aprovada pelo Senado em abril.

O uso do farol baixo durante o dia já é exigido para ônibus, ao circularem em vias próprias, e para motocicletas. Também é obrigatório para todos os veículos em túneis.

Em Brasília, os motoristas devem ficar ainda mais atentos à nova medida, porque grande parte das vias que ligam o centro da capital a regiões administrativas é rodovia, como a Estrada-Parque Taguatinga (EPTG), a Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), a Via Estrutural, o Eixão Sul e Norte e a L4 Sul e Norte.

Mais segurança nas estradas

A Polícia Rodoviária Federal vai começar a multar hoje os motoristas que não estiverem com os faróis acesos durante o dia nas rodovias. Desde que a lei foi sancionada, os policiais vêm conversando com os motoristas sobre a importância de deixar os faróis ligados.

Para o assessor de comunicação da PRF, Diego Brandão, os condutores não vão ter dificuldades em se adaptar à nova regra. “É uma mudança cultural. É importante que o motorista seja sensibilizado de que, ao adotar a medida, além de fugir das penalidades impostas pela lei, ele contribui para a diminuição de acidentes, que é o mais importante”.

Segundo Brandão, qualquer medida que aumente a visibilidade de um veículo pode ajudar na redução de acidentes. “Apesar de não haver estudos técnicos na PRF sobre o assunto, temos diversas situações e relatos sobre a causa do acidente ter sido a falta de visibilidade. Então, acreditamos que o aumento da visibilidade vai contribuir para essa redução”, diz.

 
Fonte: Agência Brasil

Fique alerta! Farol baixo durante o dia será obrigatório a partir do dia 8 de Julho.

Multa de R$ 85 e 4 pontos começa a ser aplicada em 45 dias, diz governo.
Regra vale para todos os veículos; antes, luz só era exigida de dia em túnel.

16145113

 

O presidente em exercício Michel Temer sancionou a lei que torna obrigatório rodar em estradas com o farol baixo aceso durante o dia. A mudança no Código Brasileiro de Trânsito (CTB) foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (24) e, segundo o Ministério das Cidades, começa a valer em 45 dias, em 8 de julho, que é o prazo para os cidadãos se adaptarem às novas regras.

Temer vetou o artigo que dizia que a medida entrava em vigor na data da publicação por considerar que “sempre que a norma possua grande repercussão, deverá ter sua vigência iniciada em prazo que permita sua divulgação e conhecimento”. O veto será submetido ao Congresso.

Até então, o uso de farol só era exigido para todos os veículos durante a noite e em túneis, independentemente do horário do dia. Para as motos, o uso das luzes já era obrigatório durante o dia e a noite.

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a medida será válida para qualquer tipo de rodovia, incluindo as que passam por trechos urbanos e também em túneis com iluminação pública.

Multa e 4 pontos na CNH
O descumprimento será considerado infração média, com multa de R$ 85,13 e 4 pontos na carteira de habilitação. O valor subirá em novembro deste ano, assim como o de outras multas.

O projeto de lei foi proposto pelo deputado Rubens Bueno (PPS-PR), e relatado por José Medeiros (PSD-MT) no Senado. O parlamentar considerou que a imposição pode “aumentar” a segurança nas estradas.

“Trata-se da imposição de um procedimento bastante simples e de baixo custo que poderá aumentar a segurança nas estradas e assim contribuir para a redução da ocorrência de acidentes frontais nas rodovias e, consequentemente, salvar inúmeras vidas”, defendeu Medeiros.

Valor das multas subirá
Antes de ser afastada para o julgamento do impeachment, Dilma Rousseff sancionou, em abril, medidas que endurecem as punições para infrações de trânsito. O valor das multas subirá entre 52% e 66% em novembro deste ano.

Além disso, a punição para o motorista que for flagrado falando ou “manuseando” o telefone passará de média para gravíssima.

Veja os novos valores:
Infração leve
– De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)
Infração média
– De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)
Infração grave
– De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)
Infração gravíssima
– De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Fonte: AutoEsporte