10 dúvidas sobre pontuação de crédito, o famoso SCORE.

Para conseguir aprovar seu financiamento, os bancos utilizam um sistema conhecido como score, que calcula os riscos de investimento para cada concessão de crédito. Entenda melhor como funciona o score.

 

1. O que é o “score” e como ele funciona?

A pontuação de crédito é um índice numérico entre 300 e 850, que os credores utilizam para saber se o solicitante está pagando as suas dívidas e também avaliar se vale a pena ou não emprestar dinheiro. “O score apenas se vale de informações provenientes de registros públicos – que dispensam comunicação ao consumidor – ou de informações constantes dos cadastros da própria Serasa Experian – que já foram comunicadas ou autorizadas pelo consumidor”, explica Vander Nagata, superintendente de informações sobre consumidores da Serasa Experian.

2. Para que serve o score?

“Tem por finalidade ajudar os consumidores e as empresas a realizarem negócios a crédito, com menor custo, maior agilidade e segurança. O concedente é quem decide se vai ou não dar crédito ou realizar negócio e, para isso, utiliza o score em conjunto com outras ferramentas”, afirma Vander Nagata. Ou seja, é um bom meio para conseguir o capital para comprar um apartamento, abrir um negócio ou financiar um novo projeto, por exemplo.

3. Quem usa esse serviço?

“São usuários do serviço comércio, bancos, financeiras e prestadores de serviços em geral, que, ao conhecer a probabilidade de inadimplência de um determinado grupo, poderão definir melhores preços e condições de pagamento de acordo com o perfil do consumidor”. Isso significa que os credores se utilizam do score para checar o risco do investimento naquela pessoa, além de conferir que tipos de vantagens podem ser aplicadas para cada caso.

4. O que conta para a pontuação?

Normalmente, o score é composto de informações cadastrais, negativas e públicas que existem, como protestos, cheques sem fundo, pendências financeiras e bancárias, ações judiciais, endereço, idade, se tem uma participação societária e até mesmo as pesquisas públicas sobre endividamento. “Cada um desses dados é analisado de maneira particular por cada banco”, ressalta a educadora financeira Patrícia Lage, autora do livro Bolsa Blindada.

5. Eu posso ter acesso a essas informações?

“O consumidor pode acessar gratuitamente as informações existentes no banco de dados sobre ele, inclusive as que são utilizadas no cálculo do score, e pode impugná-las e solicitar sua correção ou cancelamento”, elucida o superintendente do Serasa Experian.

6. Qual a vantagem de ter uma pontuação boa no score?

“O score pode viabilizar a concessão de crédito com taxas de juros diferenciadas segundo o perfil de cada tomado. Isso permite que o consumidor que se diferencie da média apresentada pelo mercado negocie condições comerciais melhores, por exemplo, juros mais adequados (justos) ao seu perfil”. Traduzindo: quanto melhor a pontuação, melhores as condições do empréstimo.  Precisa de renda? O Just Online oferece empréstimos pessoais com taxas a partir de 2,8% ao mês e até 10x mais barato que o cartão de crédito.

7. O que conta para aumentar os pontos?

“O resultado do score é dinâmico e pode mudar, por exemplo, se o consumidor atualizar os seus dados na Serasa Experian ou for negativado”, salienta Vander. Dois fatores ajudam bastante nesse resultado, além de trazer benefícios para a sua saúde financeira: pagar as dívidas pontualmente e regularizar (ou negociar) as dívidas vencidas e que não foram pagas.

8. Bons número são sinônimo de crédito liberado?

“A melhora do score não está diretamente vinculada à obtenção do crédito, pois a decisão é sempre da empresa que vai concedê-lo. É possível, por exemplo, que uma pessoa com um score bastante baixo receba um crédito buscado, se assim for do interesse/entendimento do concedente”, ressalta o superintendente do Serasa Experian. Como cada empresa pode estipular seus próprios requisitos, é difícil generalizar a concessão dos créditos para cada pessoa.

9. Como são calculados os riscos pelos bancos?

“No cálculo dos riscos, de conformidade com as regras, os bancos têm que levar em conta algumas variáveis: a probabilidade de descumprimento (PD), que significa a chance de que o tomador de empréstimo não honre a sua dívida, a exposição do banco ao descumprimento (EAD) e a perda em caso de descumprimento (LGD)”. Portanto, além do score, o banco ou a empresa que você está aplicando para o crédito também irá analisar e pesar essas variáveis, que podem influenciar positiva ou negativamente.

10. Que medidas podem ser tomadas para cumprimento de pagamento?

Um bom modo de compreender como funciona a cobrança é entender, primeiro, como funciona a concessão: “é isso (alocação de recursos de acordo com os riscos) que determina a boa regulação bancária, em termos de regulação de risco: bons pagadores, menores recursos são necessários. Clientes mais arriscados, maiores recursos”. Se você for um cliente de menor risco, pode ser que não haja a necessidade de declarar algum bem como garantia de pagamento, por exemplo, o que é comum para os mais arriscados.

 

Fonte: Claudia